sábado, 14 de julho de 2012

#Nau São Gabriel (versão carraca)


A nau São Gabriel foi a típica embarcação oceânica portuguesa, também chamada de carraca, dos fins do século XV.
Ela foi construída sob a supervisão de Bartolomeu Dias especialmente para vigem de Vasco da Gama a Índia em 1497. Ela pesava  uns 500 toneis, tinha aproximadamente  23 metros de comprimento e 9 metros de boca. Era aparelhada com 3 mastros( principal, mesena e traquete) e dois auxilares(gurupés e bataló). Era movida por quatro velas quadradas( principal, gávea, papafigo e cavadeira) e uma latina bastarda(mesena). O armamento era incipiente resumindo-se a poucas bombardas pedreiras, falcões e colubrinas. É pouco provável que Vasco da Gama ostentasse cruzes de Cristo em suas velas na sua primeira viagem as Índias, pois a possibilidade de cruzar com embarcações muçulmanas eram enormes.
   Acredita-se que a São Gabriel foi cedida por Vasco da Gama a Cabral em 1500 para a nova expedição armada a Índia na viajem do descobrimento. Também especula-se que em 1502 Vasco da Gama a reutilizou em sua segunda viajem a Índia.
Existe uma réplica no Museu Naval de Lisboa concebida em 1892 pelo Capitão-tenente Baldaque da Silva que publicou o livro intitulado “Noticia sobre a nau S. Gabriel” que é a versão aceita até hoje como oficial. Porém no Congresso de História Náutica de 1968, em Coimbra,  o pesquisador Jaime Martins Barata contesta esta versão baseando-se em constatações históricas e arqueológicas descritas em seu artigo intitulado“O NAVIO SÃO GABRIEL E AS NAUS MANUELINAS” . Para quem quiser ler este primoroso artigo na integra visite a página www.martinsbarata.org , vale apena!
Este modelo que construí foi baseado, em parte, neste trabalho do grande mestre, que derruba passo a passo os argumentos para a versão oficial.
Mas ninguém é dono da verdade absoluta e de fato é difícil acreditarmos que os mestres carpinteiros, que construíam pouco mais que carracas em 1497, construíssem embarcações do porte e com inovações da Santa Catarina do Monte Sinai em apenas 15 anos depois. É um salto tecnológico tão grande que gera desconfiança.

                                               CONSTRUÇÃO DO MODELO









                                            








Nenhum comentário:

Postar um comentário